Carros do Senna

5 de ago de 2011

Williams FW08C (Ford-Cosworth V8)

No dia 19 de Julho de 1983 em Donington Park (Inglaterra), Ayrton Senna teve seu primeiro contato com um Fórmula 1.

A convite de Frank Williams, dono e chefe da equipe Williams, Ayrton teve a oportunidade de testar a tão sonhada Williams nº 1 do campeão do mundo de 1982 Keke Rosberg.

Senna estava no meio da temporada de F3 Britânica e teve a oportunidade de testar a tão sonhada Williams do campeão do mundo Keke Rosberg. 

A data era 19 de Julho de 83, 3 dias após o GP da Inglaterra em Silverstone, Senna, a convite de Frank, testou a Wilaims e fez bonito em Donnington Park.

Assim que vê a Williams pela primeira vez, Ayrton fala: "É hoje!" Dando dois toques no suporte da asa traseira, com o carro ainda no caminhão. Demonstrando assim grande ansiedade para o teste.

A Williams não esta sozinha em Donnington, a Toleman, sua futura equipe, também estava na pista, com, Derek Warwick fazendo alguns acertos no carro. 

Não houve tempo para a Williams ajustar o banco do carro para Senna, ele teve que testar com os ajustes de Rosberg, alem disto, os pneus usados não foram os de classificação, mais rápidos. Mas nada disto iria atrapalhar a alegria dele.

Ayrton parte para a pista. Para perplexidade de todos, Senna foi muito rápido desde o inicio, mostrando rápida adaptabilidade ao carro. Com aproximadamente 10 voltas, Senna já tinha igualado o tempo de Jonathan Palmer, piloto de testes da Williams, que era de 61"7'. Nas 83 voltas que deu, ele baixou em 4 décimos o tempo recorde para carros aspirados, o melhor tempo de Senna foi 60"9', tempo este conseguido 2 vezes em sequência, e ainda ele conseguiu dar mais 22 voltas com o tempo na casa de 61".

Algumas frases pescadas sobre o teste:

"Ele ganhou aquele campeonato com seis vitórias em nove corridas. Por isso eu e Patrick Head decidimos fazer o teste. Mesmo se não desse para usá-lo em 84, achamos que poderíamos ajudar em sua carreira. E que talvez ele se lembrasse disso no futuro", disse Frank anos depois

"Quantas marchas tem o carro?" "Seis" "OK, eu estava usando cinco, pensei que era como F-Ford", diálogo entre Senna e um mecânico da Williams

"Mas eu nem pisei tudo ainda!", Resposta de Senna a um mecânico.

"Não precisávamos de pilotos naquela época. Tínhamos Laffite e Rosberg e estávamos satisfeitos com os dois. Keke já era campeão. Senna era ainda um novato. Não há mistério nenhum", Frank explicando porque não contratou Senna para 84.

"Obviamente ele era um garoto diferente", Frank sobre Ayrton

"Sua adaptação foi imediata. Simplesmente impressionante", Frank sobre a facilidade de Ayrton ao pilotara Williams.

"Hoje vou demorar uma eternidade para fazer essa reta", Senna de volta a Donnington na semana seguinte, para uma corrida de F3.

"Isto é um presente que Deus está me dando", Senna sobre a chance de pilotar um F1.

"A Formula 1, em termos de sensação, comparada ao kart, é mais lenta", Carta de Senna para seu amigo tchê.

McLaren MP4/1C (Ford-Cosworth V8)

O McLaren MP4/1C usado por Senna em seu segundo contato com um carro de Fórmula 1 no circuito de Silverstone (Inglaterra) no dia 27 de Outubro de 1983.

Depois do seu teste na Williams, Ayrton ganha um teste na equipe McLaren por ter ficado nas 3 primeiras colocações da Marlboro F3 British, os outros dois pilotos que andaram na McLaren eram Stefan Bellof e Martin Brundle. O teste aconteceu em Silverstone no final de 83, depois de encerrado o campeonato de F3. A McLaren não estava testando exatamente os mesmos carros, os dois eram o MP4/1C, mas eles tinham uma pequena diferença. Senna pilotou o carro de Watson, com motor Cosworth DFY, já Bellof e Brundle testaram o de Lauda, com motor Cosworth DFV. O carro de Senna era mais atualizado, por isso, era mais rápido cerca de 2 a 3 décimos.

Na primeira parte do dia, Senna virou 1:14,3s e Bellof 1:14,6s. Na parte da tarde, Senna, com pneus de classificação, viraria 1:13,9s. Ayrton tinha tudo para baixar ainda mais esta marca, não fosse o motor Ford abrir o bico quando Senna já estava pegando o ritmo do carro. Brundle, virou 1:14,7s, um décimo mais lento que Bellof. Os tempos foram muito bons em se tratando de pilotos pouco experientes.

Impressão final de Senna sobre o teste:
"Ele é fácil de pilotar, com a direção mais leve que do meu Ralt de Fórmula 3. Tenho certeza que se tivesse feito mais voltas, baixaria meu tempo para 1min12s, até porque estava um pouco desconfortável, com a perna direita apertada, o que me tirou a sensibilidade no pé do acelerador."
Toleman TG183B (Hart-Turbo, 4 cilindros)

Depois dos testes na Williams e McLaren, Ayrton Senna testa pela primeira vez um Fórmula 1 com motor turbo, o Toleman TG183B. O teste foi no dia 9 de Novembro de 1983 em Silverstone (Inglaterra)

Depois da Williams e McLaren, Senna, pela primeira vez, andava num F1 com chances de se estabelecer na equipe para 84.

Assim como na Mclaren, Senna testou a Toleman em Silverstone. No inicio dos testes, a pista úmida atrapalha um pouco Ayrton, mas, mesmo assim, ele vira o tempo de 1'12"4, tempo 1 décimo de segundo mais rápido que Derek Warwick, que conseguiu a marca de 1'12"5 na classificação do GP britânico do mesmo ano. Na parte da tarde, com a pista já seca e com aguns ajustes na suspensão, Senna vira 1'11"5, tempo este que lhe garantiria o 8º tempo no GP.

"Sem dúvida não é um carro para ganhar corridas, ele não vai ter condições de competir contra uma Ferrari, uma Renault, uma Brabham, mas é um carro para subir no pódio, quem sabe já na próxima temporada"


Depois deste teste em Silvertone, a Toleman o contrataria, mas não antes de Senna andar na Brabham dias depois.

Brabham BT52B (BMW-Turbo, 4 cilindros)

Fechando a série de testes de Ayrton Senna na Fórmula 1 em 1983 com a ilustração do Brabham BT52B usado por ele antes de assinar com a Toleman para a temporada de 1984. Depois de bater recordes de pista e andar mais rápido que os pilotos titulares nos tres testes anteriores, Ayrton é convidado por Bernie Ecclestone, chefe e dono da equipe, para dar algumas voltas com sua Brabham no circuito francês de Paul Ricard no dia 14 de Novembro de 1983.

O teste foi marcado pelo 1º encontro de 2 gênios brasileiros na F1: Nelson Piquet Sotto Maior e Ayrton Senna da Silva.

Piquet foi primeiro a andar no carro, dá algumas voltas, faz um acerto no carro e vira 1"05'90. A partir daí, o carro não mais seria modificado. Os pilotos convidados para testar a Brabham foram: Senna, claro, o colombiano Roberto Guerrero, o italiano Mauro Baldi e seu compatriota Pierluigi Martini. Com a saída de Riccardo Patrese da Brabham para a Alfa Romeo, um vaga de 2º piloto se abriria para guiar a Brabham ao lado do campeão Piquet. Bernie estava muito animado com o teste, e em tom de brincadeira disse que apostava que Senna seria mais rápido que ele:

"Tudo bem, aposto 100 mil dólares..." disse Piquet já mordido com as comparações.

Senna e Baldi viram praticamente o mesmo tempo, Guerrero e Martini vinham um pouco atrás

1"05'90 Nelson Piquet Brabham BT52B BMW
1"07'80 Mauro Baldi Brabham BT52B BMW
1"07'90 Ayrton Senna Brabham BT52B BMW
1"08'60 Roberto Guerrero Brabham BT52B BMW
1"08'90 Pierluigi Martini Brabham BT52B BMW

"Claro que eu seria mais rápido. Eu tinha acabado de ser campeão mundial naquela Brabham. Se um cara que estava conhecendo o carro naquele dia conseguisse me superar, era hora de fazer a mala e ir embora para casa"disse Piquet

Senna:

"Meu pior teste, com certeza, foi com a Brabham em Ricard. Eu estava sentindo que podia fazer muito mais"

Dois problemas afetaram uma possível ida de Ayrton para a Brabham. O primeiro foi a intervenção da Parmalat, que queria um nome italiano vinculado com o seu carro para garantir maior atenção da imprensa italiana, e o segundo, partiu do próprio Piquet, que não queria Ayrton no time. Fato este que Nelson negou veentemente, mas Herbie Blash, Diretor da Brabham, Chris Witty, diretor da Toleman e Ayrton Senna disseram o contrario. Para Bernie, foi até mais que um veto:

"Nélson ficou muito chateado quando descobriu. Percebi isso porque ele, pela primeira vez, levou um assunto ao patrocinador. Disse a Parmalat que era estupidez ter dois brasileiros, pois eles nunca iriam se dar bem. E eu disse a Parmalat que Senna era mais veloz que Piquet e que era por isso que ele não o queria na equipe"

Resultado: A Brabham fica com um italiano para a temporada de 84, mas não foi nem Baldi e nem Martini, o escolhido foi Teo Fabi. Com isso só sobrara a Toleman para Ayrton na temporada de 84.
E vocês, acham que a dupla brasileira em 84 na Brabham, daria certo?

P.S. Já vi e li varias discrepâncias entre os tempos deste teste, me parece que não houve uma cronometragem oficial. Esses tempos foram os mais sensatos que achei.

Toleman-Hart TG183B - Gps do Brasil, África do Sul, Bélgica e San Marino.

Dando sequência com a ilustraao do Toleman-Hart TG183B  usados por Ayrton Senna na temporada de 1984, ano de sua estréia na Fórmula 1. Ayrton conseguiu os primeiros pontos de sua carreira ao chegar em 6º lugar nos GPs da África do Sul e Bélgica (ainda correndo com o ultrapassado Toleman TG183B), um feito e tanto pelo carro que pilotava.

Toleman-Hart TG184 - Gps da França e Mônaco.
A estréia do novo Toleman TG184 foi no GP da França, Ayrton larga em 16º mas abandona quando estava em 5º lugar. O primeiro pódio veio no GP de Mônaco com o 2º lugar

Toleman-Hart TG184 - Gps do Canadá, EUA, Inglaterra, Alemanha, Áustria, Itália e Europa.

 O  3º lugar veio no GPs da Inglaterra.

 
Toleman-Hart TG184 - GP de Portugal.

E novamente em Portugal, último GP da temporada e também a despedida de Ayrton da equipe de Ted Toleman Ayrton chegou ao podium com um terceiro luagr.Os mecânicos da equipe agradeceram ao final do GP de Portugal com um cartaz: "A Toleman nunca mais será a mesma sem Ayrton Senna."

Lotus 97T (Renault-Turbo V6) 1985

Continuando com as ilustrações dos Lotus usados por Ayrton Senna nas temporadas de 1985, 1986 e 1987, chegamos em 1985 ano da primeira vitória. Os números desta temporada foram:2 vitórias (Portugal e Bélgica), 2 segundos lugares, 2 terceiros lugares,7 poles positions,3 voltas mais rápidas,16 GPs,4º lugar no Campeonato Mundial de Pilotos com 38 pontos.

Lotus 98T (Renault-Turbo V6) 1986

Em 1986 ultimo ano da maravilhosa Lotus John Player Special. Os números foram:2 vitórias (Espanha e Estados Unidos), 4 segundos lugares,2 terceiros lugares,8 poles positions,16 GPs, 4º lugar no Campeonato Mundial de Pilotos com 55 pontos.

Lotus 99T (Honda-Turbo V6) - 1987

1987 chega e este é o último ano de Ayrton na equipe Lotus, os números foram: 2 vitórias (Mônaco e Estados Unidos),4 segundos lugares, 2 terceiros lugares, 1 pole position 3 voltas mais rápidas, 16 GPs
3º lugar no Campeonato Mundial de Pilotos com 57 pontos.

McLaren MP4/4 (Honda V6 Turbo) 1988

Ayrton chega finalmente a uma equipe capaz de brigar pelo título e isso é o que ocorre no GP do Japão de 1988. Senna vence o GP e consagra-se campeão de 88.

McLaren MP4/5 (Honda V10 Aspirado) 1989

 Em 1989 a briga entre Senna e Prost faz com que a equipe McLaren divida-se em duas e com isso Prost consegue a melhor e vence o campeonato e Senna acaba sendo desclassificado do GP do Japão por "cortar" a chincaene.


McLaren MP4/5B (Honda V12 Aspirado) 1990

Depois das punições de 89 Senna chega a 1990 querendo dar o troco em Prost que foi para a Ferrari e novamente no GP do Japão Senna consagra-se bi campeão de Formula 1 igualando o feito de Emerson Fittipaldi, Senna da o troco em Prost chocando-se com o francês logo na primeira curva do GP do Japão.



McLaren MP4/6 (Honda V12 Aspirado) 1991

Neste ano Senna ao invês de duelar com Prost tem o inglês Nigel Mansell como seu principal adversário e novamente no GP do Japão Senna chega o tri, igualando-se ao compatriota Nelson Piquet.

McLaren MP4/6B (Honda V12 Aspirado) 1992

Neste ano a McLaren não consegue fazer frente ao super carro feito pela Williams.
McLaren MP4/7 (Honda V12 Aspirado) 1992





McLaren MP4/8 (Ford-Cosworth V8 Aspirado) 1993

1993 é considerado por muitos como o auge de Ayrton Senna, mesmo sem ter o melhor carro, Senna consegue duelar com Alain Prost e seu carro imbatível.

Com as ilustrações das Mclaren usadas por Ayrton Senna e que o levaram a conquistar três campeonatos (1988, 1990 e 1991), dois vice-campeonatos (1989 e 1993) e um 4º lugar (1992) em sua passagem pela equipe de Ron Dennis.

McLaren MP4/8B (Lamborghini V12 Aspirado) 1993

O primeiro teste da McLaren MP4/8B Lamborghini, toda branca, foi a portas fechadas no dia 20 de Setembro de 1993 no autódromo de Silverstone (Inglaterra) com Ayrton Senna e Mika Hakkinen. O segundo teste foi em Portugal, também com Senna e Hakkinen, no autódromo do Estoril em Outubro do mesmo ano, onde Senna dava indícios de que a McLaren viria forte no ano seguinte:
"O motor é muito bom, mas precisa de um pouco mais de potência e sofisticação, mas tenho certeza que vai ser muito bom para a próxima temporada", e completa: "Seria interessante de ver este motor em Suzuka ainda este ano".
Ron Dennis, o todo-poderoso da McLaren, prontamente veta essa opção e diz que seus carros vão correr com motor Ford até o fim da temporada.

Na época, a McLaren já tinha perdido os motores Honda, e estava penando em 93 com os motores americanos Ford, e ainda por cima, via sua "inimiga" Williams dominar a F1 com os super potentes motores Renault.

Voltando a Silverstone, Mika Hakkinen faz um tempo 1,4 segundos mais rápido com a McLambo em comparação com a McLaren de motor Ford. Em contrapartida, a Peugeot estava querendo entrar na F1 com um V10 baseado nos motores do Grupo C. A Larrousse fecha com a Lamborghini para 94 e surpreendentemente a McLaren assina um contrato com a Peugeot, fato este até hoje pouco compreendido. A Chrysler ficou tão desapontada com a McLaren que largou mão da Lamborghini que foi vendida a um grupo Indonésio chamado Megatech ainda em 93, isso fez com que a Lamborghini não voltasse mais a F1, com isso a Larrousse teve que correr atras de um motor a altura daquele, mas se conteve com um Ford, na ironia do destino, o mesmo da McLaren.
A Larrousse não se segurou com o motor Ford, e largou a F1 no final de 94. Senna também não aprovando a troca de motores foi para a Williams, e a McLaren teve de se conter com Brundle e Hakkinen para 94. Ano este que foi um dos piores da história para a equipe McLaren .

Williams FW16 (Renault V10 Aspirado) 1994

Fechando (infelizmente) a série "Os F1 do Ayrton" com a ilustração do Williams FW16 nº 2 de 1994. Com sede de tornar-se tetracampeão do mundo na temporada de 94, bater muitos outros recordes e conquistar mais e mais vitórias, Ayrton Senna anunciou sua nova empreitada com a WilliamsF1 Team no dia 11 de Outubro de 1993, um mês depois de Alan Prost ter conquistado seu quarto título com a equipe e se despedir da Fórmula 1. Dessa maneira, Senna e o Williams FW16 eram considerados imbatíveis para a temporada 94 da categoria, porém, isso não se concretizou. Tragicamente, o casamento entre Senna e Williams chegou ao fim na terceira corrida do ano, em Ímola (Itália), no dia 1º de Maio de 1994.

O que deveria ter sido um sonho acabava de se tornar uma tragédia.
Ayrton Senna da Silva (1960-1994).


fonte:
fonte: http://f1nostalgia.blogspot.com/

Posts Relacionados